segunda-feira, 5 de setembro de 2016

NÃO SUSTENTE PARASITAS- VOTE NULO!


EMPRESA DE CARTUCHOS NÃO DEPOSITOU FGTS

Empresa de recarga de cartuchos em Araxá além de não depositar o fundo de garantia, demite trabalhador que questiona o não pagamento.
Nós do Sindivários Araxá repudiamos e declaramos luta total até que os valores devidos ao nosso companheiro sejam pagos. O mais incrível, advogados da cidade de Araxá se negam a assumir essa causa em razão da influência do proprietário que chegou inclusive a ir ao sindicato oficial. 
Nos perguntamos, qual a função dos sindicatos oficiais? 
Até onde vai o rabo preso de figurões da cidade?

Conosco nada disso importa, Queremos o pagamento imediato dos valores devidos ao nosso companheiro.



PAGUE O QUE DEVE! 

domingo, 19 de junho de 2016

Solidariedade aos trabalhadores da região da França.


Há mais de dois meses, somos centenas de milhares que lutamos pela revogação da lei "MEDEF e Cie". Estas leis aparecem depois de muitas outras medidas ruins, todas elas com o mesmo objetivo: cortar direitos sociais, diminuir salários, fazer as relações trabalhistas mais precárias e flexíveis, para segundo eles tornar as empresas mais competitivas. Quando escutamos os patrões e o governo,´parece que é nossa culpa o fechamento de fábricas, as demissões e as falências por que somos muito bem pagos, por que teríamos muitos benefícios sociais. As empresas porém, jamais tiveram tantos benefícios como hoje, pouco lhes importa se nossos salários não chegam ao fim do mês. Nas manifestações, nos bloqueios de ruas, nos piquetes e greves, discutindo, mudando entre nós, redescobrindo que somos do mesmo mundo, somos os trabalhadores explorados e humilhados. Falando, dizendo e atuando juntos descobrimos  novamente a ajuda mútua, a solidariedade e nossa força.  Esta energia que emana de nossa ação, capaz de fazer retroceder os patrões e o governo, só a ação direta pode expressar. Neste movimento se desenvolvem práticas de assembleias populares de maneira mais ampla do que no passado, a auto-organização que nos anima, é a única que pode levar a justiça social e a uma sociedade libertária.
Não esqueçamos dos inúmeros dirigentes sindicais que nos convidaram há votar nesse governo. Este mesmo governo que agora coloca em execução uma repressão totalitária visando defender os interesses capitalistas. Aos olhos de todo mundo esta evidente verdade: As eleições servem só para eleger nossos donos, e as promessas comprometem os que acreditam nelas. Para defender nossos direitos, para que atendam nossas reivindicações, confiemos só em nossas forças e na ação direta. Não confiemos nossa sorte à políticos que são todos desligados de nossa realidade. Não trabalhamos ali de ternos e gravatas, trabalhamos de capacetes, uniformes, aventais.

CNT/AIT
Toulouse 
França.












EXPRESSAMOS NOSSA SOLIDARIEDADE AOS COMPANHEIROS DE CNT/AIT-FRANÇA E A TODOS OS TRABALHADORES E TRABALHADORAS EM LUTA, PELA DEFESA DE SEUS DIREITOS!
QUE SUAS LUTAS NOS SIRVAM DE EXEMPLO, QUE NOSSA SOLIDARIEDADE SEJA ARMA QUENTE NO COMBATE AOS  CORTE DE DIREITOS E A PRECARIZAÇÃO DAS RELAÇÕES DE TRABALHO EM TODO O MUNDO.
Sindivários Araxá COB/AIT

http://www.cntaittoulouse.lautre.net/




  



sexta-feira, 17 de junho de 2016


CONTRA O MONITORAMENTO EM ÁREAS EXCLUSIVAS DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS.

Repudiamos e condenamos o monitoramento de refeitórios dos trabalhadores e trabalhadoras, é constrangedor, serve para vigiar em momentos de refeição e descanso, sendo uma violação do direito à privacidade.
Exigimos a retirada de câmeras de monitoramento onde trabalhadores e trabalhadoras fazem suas refeições.


Há consenso doutrinário e jurisprudencial de que o pretexto utilizado pelos empregadores de se obter maior segurança patrimonial encontra impedimento nos direitos da personalidade do trabalhador, não sendo admitida a captação, nem tampouco a gravação de imagens em locais como vestiários, banheiros e refeitórios, bem assim não se justificando o mero monitoramento da execução do trabalho por tais meios.
A denúncia sobre o uso de câmeras que ferem a privacidade dos empregados, neste caso, chegou ao MPT através da Justiça do Trabalho, que já havia julgado uma ação individual e condenado o hospital ao pagamento de indenização por danos morais a um ex-empregado, pelo uso indevido de sua imagem, gravada no local de trabalho.


Fonte: Ministério Público do Trabalho





Adiantamos que a mudança de conduta por parte de patrões é uma exigência imediata, sendo aberta a possibilidade em caso de negativa de que passemos para o ambiente de conflito sindical aberto.


Sindivários Araxá-Núcleo sindical comerciários COB/AIT