quarta-feira, 20 de setembro de 2017

AÇÃO DIRETA EM DEFESA DOS NOSSOS DIREITOS

 Ação direta é o meio de luta para conquistar e manter nossos direitos. Não acreditamos em soluções indiretas, somente os diretamente interessados podem levar adiante as lutas que são de seu interesse, o sindicalismo institucional vende nossos direitos e exemplos não faltam. O caso da transferência de produção sem qualquer resistência por parte do sindicato dos trabalhadores em indústria alimentícia evidencia o parasitismo e inoperância dos sindicalistas pelegos. O caso do sindicato calçadista com sede na capital (Belo Horizonte) é mais um exemplo, a maioria dos companheiros e companheiras nem mesmo conheciam os próprios direitos, fato que colaborava e muito com a patronal, nós, através da ação direta impomos nossas reivindicações, sem acordos pelegos. Durante a greve geral de Abril 2017, alguns sindicatos conseguiram parar a produção nas minas, seria uma vitória completa, não fosse o isolamento praticado pelos sindicatos das categorias envolvidas.
Nós afirmamos a luta sindical e social por bem estar e liberdade, essa luta depende da ação direta, o envolvimento direto dos interessados em melhorias, a solidariedade efetiva e nenhum acordo com os exploradores, os possíveis acordos para cumprimento de reivindicações tem que passar por assembleia, nada de acordos a portas fechadas.  A defesa dos nossos direitos é nossa obra e de ninguém mais, a delegação de decisões favorece os parasitas do sindicalismo oficial, queremos fortalecer a classe trabalhadora, a nossa classe, os que tudo produzem. Os exploradores só entendem a linguagem do máximo prejuízo, da pressão, da greve; por bem estar e liberdade afirmamos ação direta!

-contra as terceirizações- pela contratação direta de todos os trabalhadores.

-pela redução da jornada de trabalho: 30 horas semanais, sem redução salarial

-contra a perseguição e demissão de grevistas.

-contra a reforma trabalhista e da previdência.

Por autogestão sindical

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Contra a mudança da Bem Brasil.

 Estamos contra a transferência da produção da Bem Brasil de Araxá para Perdizes. Acreditamos om conhecimento de causa que as duas plantas podem estar em funcionamento. São aproximadamente 70 demitidos em Araxá, todos os companheiros relatam o mesmo: ou aceita trabalhar na cidade vizinha ou é demitido, consideramos essa atitude abusiva, tendo em vista a qualidade de vida do trabalhador, o lazer e a convivência com a familia, a inoperância do sindicato oficial ficou escancarada, mobilização é urgente frente ao sindicalismo institucional pelego e o desprezo dos proprietários para com os trabalhadores. A empresa é uma das maiores produtoras de batata pré-frita do país, existe demanda para a produção em duas plantas e essa é nossa reivindicação - produção em Araxá e Perdizes. A empresa manteve convênios para alguns demitidos em determinadas situações, consideramos correto e vamos mais além, o trabalho em turno prejudica a saúde do trabalhador, casos de depressão e hipertensão são comuns em trabalhadores nessas condições, então, é necessária uma revisão da condição de saúde dos trabalhadores que tinham essa escala de trabalho.
Pela volta da produção em Araxá e contra as demissões!  Essa é uma luta por bem estar imediato e em defesa dos nossos postos de trabalho, a luta é gradual e a solidariedade entre nós uma arma.


Sindivários Araxá
COB-AIT


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

PELOS NOSSOS DIREITOS E CONTRA AS TERCEIRIZAÇÕES

 As terceirizações são mais um passo rumo à total precarização do trabalho e perda de direitos. Paralizações são abafadas e grevistas demitidos -'por essa e por outras - é urgente a organização sindical dos terceirizados. Os sindicatos institucionais/pelegos vendem nossos direitos, seus dirigentes ganham para desorganizar a classe trabalhadora, hoje muitos companheiros infelizmente ainda desconhecem o poder da classe trabalhadora organizada. As grandes empresas terceirizam para fugir de responsabilidades. A luta contra as terceirizações é a luta em defesa dos direitos de todos.  Nos colocamos em luta contra as terceirizações- pela contratação direta de trabalhadores terceirizados. Igualdade de condições, tratamento e convênios, contra a segregação que representa a terceirização, onde quem ganha são somente os patrões.
Total apoio as greves e paralizações- contra a demissão de grevistas-solidariedade total.

sábado, 26 de agosto de 2017

GERDAU- OURO BRANCO.

 A companhia Gerdau deve melhorar imediatamente as condições de trabalho na Usina de Ouro Branco-MG.
 São vazamentos de benzeno e a explosão que no último mês matou 2 trabalhadores e deixou mais 12 feridos, em novembro outro acidente na mesma usina já havia causado 3 mortes. A classe trabalhadora conta seus mortos, os ricos contabilizam o lucro do trabalho precário. Nossa solidariedade aos metalúrgicos da Gerdau Ouro Branco, condições seguras de trabalho já!
ACIDENTE LABORAL
TERRORISMO PATRONAL
Seguiremos acompanhando as atitudes da empresa e afirmamos a solidariedade operária contra situações como de Gerdau- Ouro Branco.


Sindivários Araxá COB-AIT

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

POLÍTICO- PROFISSÃO CANALHA.

 O poder corrompe e revela muito, não acreditamos em nenhum político - não acreditamos que delegar nossas escolhas para outras pessoas seja a solução.  Acreditamos que a mesma classe trabalhadora que produz toda riqueza, também deve organizar a própria vida. A democracia representativa é uma farsa, de maneira consciente exigimos aquilo que é nosso, a nossa produção, o nosso máximo bem estar social.
Perceba quantas regalias aos supostos representantes do povo - os parasitas - eles não vivem a vida do povo, eles não vivem a nossa vida. O poder é um antro de sanguessugas, não somos iludidos ou dissimulados como os que chamam o "fora temer" - chamamos para o "Fora Todos"  - em repúdio aos políticos, suas mentiras e todo parasitismo.  Todo o poder é corrupto, todos os níveis da suposta representação democrática estão imundos e no mais profundo mar de lama, coisa própria do capitalismo.  Chega de pelegos querendo determinar os limites da revolta!  Afirmamos FORA TODOS e FORA os fascistas que tentem tomar o controle,  a esquerda pelega alimenta criaturas como Bolsonaro, o sindicalismo vendido e a esquerda alimentaram o fascismo, fizeram acordos com bancos, enquanto preparavam o corte de direitos. O governo Dilma aprovou a lei antiterrorista que será usado contra oque proteste, a esquerda, a direita e todos os lados do parlamentos são imundos.

FORA TODOS!

Nós queremos organizar nossa vida, não queremos sustentar parasitas. Organize-se em seu local de trabalho, lazer, estudo ou moradia e vamos contra o Estado, o capitalismo e toda autoridade. Não devemos pedir permissão para defender nosso bem estar e nossa liberdade.
Desde o Sindivários Araxá afirmamos a ação direta e o grito de "Fora Todos" , não somos massa de manobra como muitos amarelos e vermelhos.
Contra as reformas trabalhista e da previdência.
Contra todos os políticos.
Pela organização operária de ação direta sem delegar responsabilidades.

Fora Todos!
Por greve geral ativa e sem acordo com os exploradores.
É digno lutar e defender nossos direitos, em 2018 seguir expressando nossa revolta com abstenção e voto nulo,"greve geral e solidariedade em defesa da classe trabalhadora.

#ForaTodos
Política é atividade de canalhas, partidos são ninhos de ratos, a classe trabalhadora pode e deve tomar a palavra e a ação.


terça-feira, 22 de agosto de 2017

DESEMPREGADOS EM LUTA!

 Isso que chamam de crise, nós chamamos de capitalismo, para os patrões somos custo de produção, então, para manter o lucro, demitem pais e mães de familía, não importa nada para os exploradores as necessidades do povo. A luta organizada em núcleos sindicais precisa ser também a luta dos desempregados. São milhões de companheiros demitidos sem qualquer chance de defesa, o sindicalismo institucional/pelego aceitou tudo, negociam demissões, tentam suavizar; é impossível aceitar situações assim, a defesa dos postos de trabalho deve ser intransigente. O demitido precisa se organizar, eles usam da desorganização da classe trabalhadora para pagar cada vez menos, os patrões, que nas horas vagas são também os governantes cortam direitos e condicionam a geração de emprego ao corte em direitos, assim, o trabalhador aceita qualquer condição de trabalho.
 Queremos trabalhar! Queremos condições dignas, vamos aos piquetes, vamos reativar a maneira como sempre lidamos com nossas reivindicações, com luta! As condições no SINE de Araxá não consideramos adequadas, muito abaixo da necessidade.  As grandes empresas que fazem alarde sobre contribuições ao municipio, são as primeiras a demitir.  Assembleias, ação direta - piquetes!
Lutar é preciso, o desemprego faz muitos aceitarem qualquer condição de trabalho, coloca nossa gente nas mais profundas necessidades. Nós não aceitamos negociar demissões. Consideramos o desemprego uma abominação, um crime dos ricos contra os pobres, por isso consideramos necessário retomar os piquetes.  Os companheiros e companheiras desempregados, passar a realizar assembleias de desempregados em frente ao SINE Araxá, os velhos resquicios locais da ditadura não nos assustam. Lutar é necessário, desempregados em luta, piquetes contra o desemprego! Basta de desorganização e exploração. Nossos núcleos avançam, esse é um chamado pelo justo e urgente.  
Não podemos aceitar a situação atual calados, companheiros e companheiras que estiverem deprimidos com a situação de desemprego, vamos discutir e organizar as vitimas do sindicalismo vendido, do governo e da ganancia dos patrões.
Estamos em luta!



quinta-feira, 17 de agosto de 2017

FORA TODOS!

Estamos cansados de trabalhar para sustentar parasitas, estamos cansados de enfrentar o desemprego para garantir o lucro dos empresários. É hora de lutar, fora todos eles, sem mais parasitas; ocupar ruas, praças e locais de trabalho, promover assembleias e exigir oque é nosso. Não somos massa de manobra daqueles sindicalistas pelegos que no poder negociaram com os patrões e desorganizaram a classe trabalhadora. Organize-se para se defender, para defender seus companheiros e companheiras. Contra as reformas trabalhista e da previdência, contra todos os partidos e políticos - #FORATODOS  !  Somos a Confederação Operária Brasileira. Sem pátria, sem partido e sem patrão.

Autogestão operária de lutas!